Joel Airac

UMA TARDE

UMA TARDE

DA POUCO ACERCA-SE
SEU MANTO VAI CAINDO,
PERCEBE-SE NUM SOPRO
ELES APARECEM E A NOSTALGIA
DESATA As LEMBRANÇAS..................

 
UM VACIO NO ALMA
TAMBIEN RISOS PELO QUE FOI
SEU ACALMA O INVENTO TRANSPARENTE
DECORRE............................

 
VAI-SE AFIRMANDO COM As HORAS
MORIRA TAMBIEN COM ELAS.............
¿ QUE FOI DAQUELAS LEMBRANÇAS ?
SINGELAMENTE FOI POR QUE
O MOMENTO PASSO................

 
É MORNA MAS TAMBIEN FRIA
A PELE SABRA PERCEBÊ-LA
SUA ROTA POUCOS A RECORRERAN ;
NINGUÉM PODE SE VER E SE ESTENDE
SEU MISTÉRIO O COMPREENDO
E TAMBIEN POR QUE SÓ VAI DE PASSAGEM ;

 
DEIXANDO DESDE QUANDO FOI FEITA
ESSA SENSACION DE OPRESION
E DE ALÍVIO
QUE NINGUÉM PODRA TIRAR.

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Joel Airac.
Published on e-Stories.org on 30.08.2010.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Filosófico" (Poems)

Other works from Joel Airac

Did you like it?
Please have a look at:

A special moment - Helga Edelsfeld (Filosófico)
Le isole della pace (Übersetzung von Inseln der Ruhe) - Ursula Mori (Vida)