Marta Sofia

Vida

A vida às vezes prega-nos rasteiras...Se calhar não é a vida...São os sentimentos que nos traiem e iludem ao ponto de quase perdemos quem mais gostamos...Quando estamos apaixonados vemos flores onde só existem espinhos e água onde só existem pedras...Isso do coração ter sentimentos tão fortes como a nossa própria existência faz deturpar a nossa visão sobre o mundo...E quando o mundo se mostra tal como é nós caimos num abismo sem fundo e todos os sentidos ficam vaziose inúteis o mundo vira cinzento e achamos que nada poderá remediar e rezamos pelo cair no fundo de sentir a morte a chegar e sentir a dor da queda, os ossos a quebrar e o sangue a gelar...Quando de repente sentimosque nao estamos a cair que há forças que nos puxam com todas as suas forças para continuaremos porque o nosso caminho nos impele a isso. E aos poucos com esforço, com as pernas ainda a tremer ainda a tropeçar voltamos a caminhar a olhar em frente e voltar a sentir mais que escuridão.Aos poucos e poucos voltamos a ver a nossa luz e a nossa vida. A feridas curam-se as nossas e a dos outros temos que continuar à acreditar nisso. E quem nos quer sempre nos quererá...

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Marta Sofia.
Published on e-Stories.org on 02.10.2006.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Vida" (Short Stories)

Other works from Marta Sofia

Did you like it?
Please have a look at:

Coração - Marta Sofia (Geral)
A Long, Dry Season - William Vaudrain (Vida)
Pushing It - William Vaudrain (Geral)