Sandra Kropp

integridade


Linhas profundas. Rugas de expressão.
 
Sinal dos anos. Marcas do tempo.
 
Tempos que foram, que virão.
 
Tempos que não voltarão.
 
Tempos bons, não tão bons.
 
Histórias tem para contar. Sabedoria , ensinar.
 
Um tempo que construiu  história.
 
Anos que não saem mais da memória.
 
Linhas profundas. Linhas de expressão.
 
Linhas do tempo. Linhas de uma  história.
 
História particular. Tão única, tão peculiar.
 
Por mais simples que seja. Será história.
 
Será memória. Para outras gerações.
 
Ensinamentos de família. Repassar tradições.
 
História de vida. História sofrida.
 
Sofrimento fortalece. Lutar, ensina.
 
Velhice desanima. Mas a história de vida,
 
As conquistas deixadas, emoções transmitidas,
 
Família constituida, valores enraizados,
 
O brilho no olhar de cada filho,
 
A esperança de cada neto,
 
A ingenuidade de cada bisneto,
 
Que iniciam sua caminhada,
 
Repleta de emoções,
 
Carregada de esperanças,
 
Para um mundo melhor,
 
Recontam a minha história de vida,
 
A esperança que sempre busquei,
 
A luta que sempre travei,
 
Construir a família que almejei,
 
Olho para trás satisfeito,
 
Tranquilo, feliz...
 
Estou no fim da vida, atravessando a velhice,
 
Percebo que minha batalha diária,
 
Aquela que durou dias , meses, anos,
 
Realmente marcou o tempo, marcou meu tempo,
 
Está no meu rosto, na minha expressão.
 
Está também em cada coração,
 
De filhos, netos e bisnetos,
 
Que absorveram, através do tempo,
 
Coisas boas, não tão boas,
 
Alegrias, dificuldades,
 
Mas conseguiram, sabiamente,
 
Carregar consigo um pouco de minha história de vida,
 
E levar adiante esta história,
 
Repleta de honestidade, bondade,
 
Valores, Saudade,
 
União, Disputas, e o mais importante,
 
INTEGRIDADE.
 
Estou integra, com a cabeça boa, quase aos noventa,
 
E concluo que os meus, por menores que ainda sejam,
 
Continuarão a levar a integridade adiante,
 
Tornando o mundo um pouco melhor, doravante,
 
E mantendo a mesma esperança,
 
Que desde criança,
 
Ou ainda nos tempos mais difíceis,
 
Comigo carreguei,
 
Nunca de lado deixei.
 
 
 
               
 
 
 
 
 
 
 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Sandra Kropp.
Published on e-Stories.org on 04.07.2006.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Vida" (Poems)

Other works from Sandra Kropp

Did you like it?
Please have a look at:

Being interested - Inge Hoppe-Grabinger (Vida)
Apocalypse now - Heino Suess (Lamento)