Flavio Cruz

O Paradoxo de Zuckerberg


A capacidade de informar, mostrar, explicar, aumentou milhares de vezes nas últimas duas décadas. Um indivíduo, um grupo, uma classe, uma figura pública, um ninguém, pode se expressar, emitir opiniões, surtar, se comover, reclamar, “tirar uma”, protestar, enfim pode fazer quase tudo quiser. Deveríamos estar mais civilizados, mais entendedores do que se passa. Estamos? O que temos é uma confusão enorme, mentiras, montagens, idiotices nas redes sociais. Claro, isso talvez seja um exagero. Há muita coisa boa, gente maravilhosa, espalhando cultura, novas ideias, etc.
E a verdade? Ela deveria estar apuradíssima. Tanta gente e tanta informação, tantas formas para se apurar com precisão uma opinião, tantas fontes que podem ser verificadas. Ironicamente é o reverso. Os recursos são usados para distorcer fatos e fotos, para ridicularizar a verdade e, às vezes – muitas – para dignificar o ridículo, para promover o absurdo. Também, aqui, há pessoas extraordinárias, que lutam com coragem, para estabelecer a verdade. Essa luta, porém, é uma luta quase perdida. Uma grande parte das pessoas ou não se preocupa com isso, ou não tem capacidade para discernir.
Como o “cara” mais famoso no assunto é Mark Zuckerberg, eu, humildemente, nomeio este fenômeno como o “Paradoxo de Zuckerberg”.

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 13.03.2016.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Geral" (Short Stories)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

A Sra. Stevenson quer me levar para o céu - Flavio Cruz (Ficção científica)
Pushing It - William Vaudrain (Geral)
Heaven and Hell - Rainer Tiemann (Humor)