Flavio Cruz

A visita do caixeiro-viajante

Faz muito tempo, mas muito mesmo. Era na época dos caixeiros-viajantes. Todo mês o Francisco passava na pequena cidade de Rendição com suas malas, vendendo todo tipo de tranqueira, principalmente para a mulherada. À noite, dormia na pensão da Dona Marivalda, trabalhava até tarde no outro dia e “picava a mula”, para se usar uma expressão da época. Naquela noite, porém, ele não dormiu onde estava acostumado. A dona do estabelecimento ficou um pouco enciumada, mas depois pensou consigo mesma: o coitado deve estar sem dinheiro, os negócios não andam bem. 
 
Veio o mês seguinte, e mais outro, e o Francisco não apareceu mais por lá. Na mesma época a barriga da Lucília foi crescendo, crescendo, sem explicação. Todo mundo pensou a mesma coisa, mas ninguém, disse nada. Pelo menos publicamente. Depois de nove meses da ausência do caixeiro-viajante, nasceu o Francisquinho. Nome escolhido pela Lucília mesmo, sem vexame. Como o Francisco nunca voltou e também os tempos estavam mudando, a Lucília abriu uma lojinha, que veio a calhar, com a ausência do vendedor. Com o tempo, tudo se encaixa, como dizia a Marivalda. Tudo se encaixa.

 

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 04.04.2015.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Humor" (Short Stories)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

A consciência de Julian - Flavio Cruz (Ficção científica)
Heaven and Hell - Rainer Tiemann (Humor)
Heaven and Hell - Rainer Tiemann (Humor)