Flavio Cruz

Fazendo sentido

Fazendo sentido

O homem come em frente da televisão,   

a estrela polar está fora de lugar,

e, por pura preguiça, o rei renunciou.

Na geladeira ainda há comida,

mas o buraco negro da Via-Láctea,

de repente, sublime, revelou-se,

colorindo toda a galáxia.

Certo estou de que, sorrateiro,

para outra dimensão nos levou.

Na TV há notícias que não saíram,

para que as que nunca aconteceram,

finalmente, livres, pudessem sair.

Vimos coisas que eles não viram,  

e que aconteceram durante a calmaria.

Há um caos sólido no meio da harmonia, 

e uma doce anarquia ressuscitada.

Os anjos finalmente se revelaram,

são feitos de atômicas partículas,

quânticas, randômicas, inusitadas.

Estão de férias definitivas, porém.

Estou tentando fazer sentido,

mas você também precisa me ajudar.

Que sentido, que nada, chega de lógica!

Se o mundo não faz sentido,

por que o poeta haveria de?

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 12.08.2017.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Geral" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Amores modernos - Flavio Cruz (Amor e Romance)
Flying home - Inge Hornisch (Geral)
Pour une fille - Rainer Tiemann (Emoções)