Flavio Cruz

Um divino poema

Existe um divino poema,

que ainda não foi talhado,

e que dentro de mim lateja,

sem forma, sem conteúdo.

Há tanto tempo criado,

porém nunca revelado,

para ninguém, nem para mim.

Queria saber seus versos,

ah, como tanto queria,

seu sentido traduzir,

mas ele tem uma senha,

que jamais vou descobrir.

Quando minha alma partir,

deste mundo se livrar,

quem sabe, vou conhecê-lo.

Quem sabe, sublimes anjos,

em doce, divino arranjo,

com deleite e prazer,

venham enfim recitá-lo.

Poderei, então, saber,

de fato e por inteiro

o sentido verdadeiro,

da poesia, do amor,

desta vida sem valor...

 

All rights belong to its author. It was published on e-Stories.org by demand of Flavio Cruz.
Published on e-Stories.org on 31.07.2017.

 

Comments of our readers (0)


Your opinion:

Our authors and e-Stories.org would like to hear your opinion! But you should comment the Poem/Story and not insult our authors personally!

Please choose

Previous title Previous title

Does this Poem/Story violate the law or the e-Stories.org submission rules?
Please let us know!

Author: Changes could be made in our members-area!

More from category"Geral" (Poems)

Other works from Flavio Cruz

Did you like it?
Please have a look at:

Estou aprendendo - Flavio Cruz (Vida)
RENAISSANCE - Mani Junio (Geral)
Silent Mood - Inge Hornisch (Amor e Romance)